Sobre a Salmodia

[Por: Basílio (330 – 379)]

“…Os profetas ensinam certas coisas, os Históricos e a Lei ensinam outras, e os Provérbios proveem ainda um diferente tipo de conselho, mas o Livro de Salmos abrange o benefício de todos eles. Ele proclama o que virá e eterniza a história; ele legisla para a vida, dá conselho em assuntos práticos e serve em geral como um repositório de bons ensinos, cuidadosamente expondo o que é adequado para cada indivíduo. (…)

(…) O que fez o Espírito Santo quando viu que a raça humana não era conduzida facilmente à virtude, e que, devido à nossa inclinação para o prazer, damos pouca atenção a uma vida reta? Ele misturou a doçura da melodia com a doutrina de modo que inadvertidamente nós pudéssemos absorver o benefício das palavras através da gentileza e facilidade de ouvir […]. Assim ele criou para nós essas harmoniosas melodias dos salmos, de forma que aqueles que são crianças na sua idade, bem como aqueles que são jovens em comportamento, ainda que aparecendo apenas para cantar pudessem ser treinados em suas almas. Pois nenhuma dessas pessoas indiferentes jamais deixa a igreja retendo facilmente na memória alguma máxima dos apóstolos ou dos profetas, mas elas cantam os textos dos Salmos em casa e circulam com eles no mercado.” (WITVILIET, 2007, p. 3-4)

WITVLIET, J. D. Spirituality of the Psalter. In: FOXGROVER, D. Calvin and spirituality. Grand Rapids: Calvin Studies Society, 1998