O que é Arrependimento?

[Por William Plumer]

“…Portanto, qualquer sistema de religião entre os homens que não inclua o arrependimento é falso. Matthew Henry disse: “Se o coração do homem tivesse permanecido reto e puro, as consolações divinas seriam recebidas sem essa dolorosa operação precedente. Mas, visto que o coração do homem é pecador, tem de ser primeiramente quebrantado, antes de receber paz; tem de labutar, antes de obter descanso. Para haver a cura, a ferida precisa ser examinada. A doutrina do arrependimento é uma doutrina correta do evangelho. Não somente o austero João Batista, que foi considerado um homem melancólico e pessimista, mas também o amável e gracioso Jesus, cujos lábios transbordavam doçura, pregou o arrependimento.

Embora o arrependimento seja um dever óbvio e frequentemente ordenado, só pode ser realizado de modo verdadeiro e eficaz pela graça de Deus. É um dom do céu. Paulo orientou Timóteo a instruir, com mansidão, aqueles que se opunham, na expectativa de que Deus lhes concedesse “o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade” (2 Tm 2.25). Cristo foi exaltado como Príncipe e Salvador, “a fim de conceder… o arrependimento” (At 5.31). Assim, quando os gentios foram introduzidos na igreja, esta glorificou a Deus, dizendo: “Logo, também aos gentios foi por Deus concedido o arrependimento para vida” (At 11.18).”…

Extraído de Vital Godliness: A Treatise on Experimental and Practical Piedy, reimpresso por Sprinkle Publications.

Traduzido por: Pr. Wellington Ferreira

Copyright© Editora FIEL 2010.

Outras Obras