O caniço ferido

[Por: Richard Sibbes]

O QUE DEVE SER FERIDO

“O caniço ferido é um homem que, na maioria das vezes, está em alguma miséria, como estavam aqueles que vieram a Cristo para obtenção de ajuda, e pela miséria é levado a ver o pecado como a causa daquela, pois, sejam quais forem os pretextos que o pecado dá, eles chegam a um término quando ficamos feridos e quebrados. Ele fica sensível quanto ao pecado e a miséria, mesmo da ferida; e, não vendo nenhum auxílio em si próprio, é levado com incansável desejo de ter suprimento de um outro, com alguma esperança, a qual, pouca, o eleva para fora de si mesmo a Cristo, ainda que não ouse alegar qualquer direito presente à misericórdia. Essa fagulha de esperança, tendo a oposição de dúvidas e temores que nascem da corrupção, torna-o como pavio que fumega; de modo que os dois em conjunto, um caniço ferido e o pavio que fumega, compõem o estado de um pobre homem angustiado. Esse é um tal a quem o nosso Salvador Cristo dá o termo de “pobre de espírito” (Mt 5.3), que vê suas necessidades, e também vê a si próprio devedor à justiça divina. Ele não tem meio nenhum de prover por si mesmo ou pela criatura, e sobre isso chora, e, sobre alguma esperança de misericórdia da promessa e dos exemplos daqueles que obtiveram misericórdia, é excitado a ter fome e sede por ela.”
___________________________________________________________________
Richard Sibbes – The Works of Richard Sibbes – “The Bruised Reed” – (O caniço ferido)