Por que cantar os Salmos?

[Por : David Murray]

Desde que viemos para América seis anos atrás, minha família continuou nossa tradição Escocesa de cantar os Salmos Escoceses Metrificados no culto doméstico. Nós cantamos quatro versos por vez e quando chegamos ao fim dos Salmos, nós simplesmente começamos tudo de novo. É uma das maneiras pela qual lutamos para estarmos conectados com nossa preciosa herança espiritual. Mas não é sempre tão simples. Na última sexta-feira à noite nós terminamos cantando o Salmo 31 versos 9-12 que diz:

Tem misericórdia de mim, ó Senhor, porque estou angustiado. Consumidos estão de tristeza os meus olhos, a minha alma e o meu ventre. Porque a minha vida está gasta de tristeza, e os meus anos de suspiros; a minha força descai por causa da minha iniqüidade, e os meus ossos se consomem.” (versos 9 e 10).

E isto levanta uma grande questão, visto que isto [o que o Salmista diz], simplesmente, não é verdade para mim ou para minha família em nossas vidas, atualmente. Muito pelo contrário, na verdade. Então, como ou por que nós cantamos tais cânticos? Nós conversamos sobre isso depois, enquanto família, e apareceram quatro razões porque ainda devemos cantar este Salmo e muitos outros como este, ainda que eles não possuam uma exata descrição de nossa presente experiência ou circunstância.

1. Lembra-nos dos Cristãos que sofrem em todo o mundo. Este Salmo nos lembra que existem muitos Cristãos que estão passando por tais vales sombrios e por águas profundas. Quando entoamos estes cânticos, nós estamos, efetivamente, orando por todos os Cristãos que estão sofrendo em todo o mundo. Estamos intercedendo pelos perseguidos na Coréia do Norte e Irã. Mas, igualmente, somos lembrados acerca daqueles que estão aflitos em nosso próprio meio e, também, desafiados a alcançá-los com uma simpatia prática.

2. Lembra-nos o que merecemos. Por causa de nosso pecado, perdemos o direito de ter todo o conforto neste mundo. Por isso, a cada dia de felicidade, a cada dia sem dor, a cada dia de sanidade, é um dia de graça e misericórdia. Com este salmo nós estamos, portanto, louvando a Deus pelo seu favor imerecido, a cada dia, em que estes versos não são nossa experiência. E, se somos crentes sofredores, podemos agradecer a Deus, pois nunca sofreremos desta maneira pela eternidade, em que, na bondade de Deus o dia vem, no qual, o suspiro e o choro não mais existirão.

3. Lembra-nos que devemos nos preparar para as lutas e provas. Embora tenhamos dias, anos e até décadas de uma vida relativamente livre de problemas, todos nós, eventualmente, e, inevitavelmente, enfrentaremos tempos difíceis de dores, de suspiros e gemidos. E este salmo, tornar-se-á a nosso cântico. Nesse meio tempo, no entanto, ainda podemos cantá-lo de uma forma preparatória, pedindo a Deus para preparar e equipar-nos para esses momentos quando eles chegarem.

4. Lembra-nos de levar todos nossos problemas ao Senhor. Embora o Senhor seja a única esperança do crente, em tempos de dores e angústia, somos tentados a ir para longe dEle. Através deste salmo inspirado, Deus nos chama de volta e diz: “Traga toda a sua dor para mim, derrame honestamente todo o teu coração para mim, diga-me exatamente como você se sente”. Fazendo isto, não estamos desonrando a Deus, mas na verdade adorando-O pela expressão de nossa grande necessidade, nossa completa dependência Dele e nossa confiança em Sua resposta e intervenção.

5. Lembra-nos de Jesus Cristo. Quaisquer que sejam os sofrimentos experimentados pelo salmista, eles são nada quando comparados com o que Jesus Cristo sofreu em nosso lugar. Quanta agonia de corpo, mente e alma. Que miséria insuportável Ele experimentou por pecadores como você e eu. Ele poderia e cantou este salmo como ninguém. Podemos, assim, cantá-lo para o louvor de Cristo que sofreu tudo isto e coisas piores em nosso lugar e em nosso favor.
___________________________________________________________________
David MurrayWhy sing the Psalms? (Por que cantar os Salmos?)
Tradução – Joelson Galvão Pinheiro