A morte para o cristão é doce

[Por: Robert Murray M’Cheyne]

Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda.” [2 Timóteo 4:7-8]

“…Quão bem-aventurado é estar no leito de morte dos filhos de Deus. Quão diferente ele é do leito dos ímpios! Os ímpios, por vezes, morrem em agonia. Alguns têm sido conhecidos por clamar: “Perdido! Perdido! Perdido! Ó, eternidade! Ó, por meia hora para orar!” Alguns morrem em blasfêmia, amaldiçoando a Deus por suas dores e suas feridas. A maioria morre como um animal, sem qualquer pensamento ou cuidado, exceto pelo corpo: ‘Porque não há apertos na sua morte, mas firme está a sua força. Como ovelhas são postos na sepultura; a morte se alimentará deles e os retos terão domínio sobre eles na manhã, e a sua formosura se consumirá na sepultura, a habitação deles‘ [Salmos 73:449:14].

Como é doce, em comparação com estes, é a partida dos filhos de Deus! Eles dormiram em Jesus: ‘Porque eu já estou sendo oferecido por aspersão de sacrifício, e o tempo da minha partida está próximo.‘[2 Timóteo 4:6]. Paulo aqui compara isto: (1) Com o derramamento de uma oferta de bebida: ‘E, ainda que seja oferecido por libação sobre o sacrifício e serviço da vossa fé, folgo e me regozijo com todos vós‘ (Filipenses 2:17). Sentia-se tão inteiramente dedicado e entregue a Deus, que a sua morte foi como o derramamento da oferta do vinho, que já pertencia a Deus. (2) Como a partida de um navio: ‘A hora da minha partida está próxima‘. As coisas temporais eram como as cordas que o prendiam a este mundo, mas logo seu barco deveria desprender-se da costa, e navegar adiante, para o porto da glória, e ser ancorado para sempre.”…
___________________________________________________________________
Robert Murray M’Cheyne – O Combate da Fé
Fonte – OEstandarteDeCristo
Outras obras AQUI.