O uso exclusivo do saltério inspirado no culto a Deus

[Por: John Thomas Chalmers]

“…Como argumento final, que seja lembrado que o Novo Testamento não conhece nenhum livro de louvores que não seja o livro dos Salmos, não há insinuação alguma de que qualquer outro livro seja necessário ou que jamais teria sido dado à igreja. Não há uma direção dada a qualquer homem para elaborar tal livro, nem uma simples promessa da influência do Espírito Santo para assistir qualquer pessoa a produzir um. Quando Jesus “ascendeu aos céus e deu dons aos homens” (Ef 4:8), ele derramou sobre Sua igreja todos os dons necessários para edificação para até o fim dos tempos. Ele deu alguns evangelistas, alguns pastores e mestres, para o aperfeiçoamento dos santos, para edificação do corpo de Cristo. Agora, se tivesse sido necessário para a edificação de Sua igreja, não seria sensato supor que entre os outros dons Ele teria conferido o Espírito de Salmodia? Mas é vão tentarmos procurar o dom de um Salmista ou o Espírito de Salmodia. Nenhum ofício de compositor de hinos é mencionado. Os apóstolos e todos aqueles que creram pela palavra deles tinham, e ainda têm, a promessa do Espírito Santo para ajuda-los em sua dificuldades quanto à oração e em tudo que entra no culto cristão, menos a preparação de cânticos de louvor. Há a promessa da ajuda do Espírito no oferecimento do louvor, pois Paulo diz: “Eu cantarei com o Espírito” (1 Co 14:15); mas não há absolutamente nenhuma promessa de Sua assistência na composição da matéria para ser usada no louvor. Procure por tal evidência do começo ao fim do Novo Testamento, e você procurará em vão. Não há promessa feita para um outro sistema que substituísse o Livro dos Louvores (Livros dos Salmos).

Se a coleção de salmos, hinos e cânticos espirituais, que têm sido o suficiente manual de louvor por muitas gerações, têm sido inadequados para as necessidades dos santos na dispensação do evangelho, então, Aquele que inspirou um João e um Paulo a fazerem uma clara e completa revelação das doutrinas da graça teria também tocado os lábios e adaptado as harpas de outros ‘Davis’ e ‘Asafes’. A ausência de tal provisão pode ser aceita como prova da suficiência de um livro de cânticos já existente para satisfazer cada possível necessidade nesta importante parte do culto a Deus.

A conclusão é inevitável. Este Livro de Louvores é o único que possui a marca do Senhor da igreja. É o único que pode apontar para uma sanção de Deus como tendo como base sua reivindicação sobre a igreja de Cristo, e, portanto, a Associate Reformed Presbyterian Church declara que ‘É a vontade de Deus que os salmos, hinos e cânticos espirituais contidos no Livro dos Salmos, sejam cantados no Seu culto, tanto privado quanto particular, nem qualquer outra canção deve ser usada no culto pelos membros da Associate Reformed Presbyterian Church.”…
___________________________________________________________________
John Thomas Chalmers  The Exclusive Use of the Inspired Psalter in the Worship of God
Tradução: Joelson Galvão