O pecado e a glória de Deus

[Por: Theodore Beza]

“…Não restaria nada mais para o mundo inteiro, exceto ir para a sua ruína (Rm 3:19). Mas Deus, sendo não só muito justo, mas também muito misericordioso, tinha de acordo com a sua infinita sabedoria, eternamente estabelecido um caminho para tornar todos os males para a sua glória: para uma maior manifestação da sua bondade (Rm 3:21-25), em relação àqueles a quem ele escolheu eternamente de modo a ser glorificado na salvação deles (Rm 8:28; 9.23). E, por outro lado, ele tornou o pecado do homem para a manifestação do seu soberano poder e sua ira, pela justa condenação dos vasos de ira preparados para a destruição (Rm 9:22; Ex 9:6). Como Santo Agostinho diz: ‘Se todos fossem salvos, os salários do pecado demandados pela justiça seriam escondidos. Se nenhum fosse salvo, ninguém veria o que a graça concede.‘”…
___________________________________________________________________
Theodore Beza – The Christian Faith
Fonte – Pelo Calvinismo
Tradução – Francisco Alison Silva Aquino