Refutando Algumas Objeções à Salmodia Exclusiva – parte 3

[Por:David Silversides]

O texto a seguir é um excerto transcrito de uma palestra proferida pelo Rev. David Silversides, ministro da Loughbrickland Reformed Presbiterian Church em Loughbrickland, Irlanda. A referida palestra ocorreu numa conferência organizada pela Emmanuel Church, em Salisbury, Inglaterra, em 1997.

(…) Sétima: Mas não deveriam pessoas com dons poéticos serem autorizadas a usá-los no culto da igreja?

Você diz, “bem, bem, não há menção de dom de composição de hino, mas obviamente existem cristãos que tem dons poéticos. Não deve isto encontrar espaço no culto a Deus? ”. Bem, novamente, a resposta é não. Não, não deve. Não no que diz respeito ao cântico de louvor. Porque dons naturais dados por Deus não tem que encontrar expressão no culto da igreja ou mesmo na igreja.

Vamos falar sobre Roma por um minuto. No romanismo, para alguma coisa ser “cristã”, deve estar sobre a jurisdição da igreja. Para estar, em sua visão, sua falsa visão, para alguma coisa estar em Cristo, deve estar em sujeição ao vicário de Cristo, o homem do pecado, em Roma; deve estar sob sua jurisdição para ser cristã. Porque ele é, supostamente, o vicário de Cristo. E, portanto, uma escola cristã é uma escola controlada pela igreja. Um hospital cristão é um hospital controlado pela igreja. Um Estado cristão é um Estado controlado pela igreja. Por controlado pela igreja, é claro, Roma quer dizer controlado pela autoridade do papa. E, portanto, no romanismo, arte, escultura, música, precisam ser trazidos à província de sua chamada igreja para que seja arte cristã, escultura cristã, música cristã. Você diz: “bem, nós rejeitamos isso”. Bom. Mas no evangelicalismo hoje, há uma tendência de se seguir o mesmo padrão, embora em uma escala menor se comparada às maquinações de Roma.

Alguém diz, “Eu tenho este dom.” E então se espera que a igreja o acomode; encontre um lugar para isto em suas atividades ou em seu culto. E então, se Johnny é bom na flauta, bem, a flauta tem que entrar no culto. Se Jimmy não é tão mau no violino, então nós temos que ter o violino no culto. Se Sally toca o violão, nós temos que ter o violão. Tudo tem que entrar. Mas se Jenny sabe um pouco de coreografia, então nós temos que ter a dança também. Bem, Arthur é um pouco artista, então nós temos que trazer isso para dentro, da mesma forma. E, bem, Joe tem um pouco do lado teatral, então nós temos que ter algum teatro. Isto está tudo errado! Alguns destes dons podem ter um espaço legítimo – eu enfatizei ‘alguns destes’ – podem ter um espaço legítimo na vida do cristão. Mas eles não têm um espaço na adoração a Deus. O fato de que alguém pode fazer alguma coisa não significa que o culto da igreja e as suas funções e práticas devam ser distorcidas para acomodarem o que eles se sentem capazes de fazer.

Eu, uma vez, conheci um jovem homem que tinha um dom muito estranho. Ele tinha a habilidade de falar de trás para a frente. Ele podia falar de trás para a frente depressa. Mas nós não queremos pessoas falando de trás para a frente na igreja de Deus. Nós não realizamos coisas a partir daquilo que as pessoas pensam que podem fazer. Mas realizamos somente aquilo que o Rei da igreja determinou.

Esta é a abordagem bíblica, esta é a abordagem reformada. Nós não dizemos que nós queremos. Nós nem mesmo dizemos “no que nós somos bons? ”. Nós dizemos “o que Cristo, o Rei, ordena? ”. Isto é tudo. E o fato de homens de Deus terem tido, algumas vezes, dons poéticos, o que isso significa para o canto de louvor da igreja? Bem, à parte de usar dons poéticos para tentar produzir, como a Assembleia de Westminster fez, uma boa tradução dos Salmos que pode ser cantada – à parte disto, isto não significa nada. Para o culto a Deus, isto não significa nada. O fato de que Wesley era um poeta, em relação ao louvor cantado na igreja não significa nada.

Oitava (nós estamos quase terminando): Esta visão não causa divisão entre as pessoas?

Nós temos 150 Salmos, mas não temos nenhum autor nomeado no final. Você conhece o livro de hinos que tem os nomes dos autores no final? Os Salmos não têm, porque eles são inspirados por Deus, pelo próprio Deus. Nenhum cristão debaixo do sol deve ter problema em cantar os Salmos. Quem é divisivo? Aquele que introduz alternativas criadas pelo homem, não autorizadas pelas Escrituras, ou aqueles que aderem ao livro de louvor dado por Deus para toda a igreja de Deus? Quem é realmente divisivo? Penso que a resposta é óbvia. Não são aqueles que aderem ao designado e provido livro dos Salmos, provido e designado para a igreja em todas as gerações e todos os lugares. São aqueles que querem se afastar dos desígnios divinos e da provisão divina. Oh, mas você diz, nós somos a maioria agora. Vocês não foram sempre a maioria. Os cantores de hinos não foram sempre a maioria. Durante o decorrer da história, não eram a maioria.  Mas, tampouco, este nem mesmo é o ponto. Alguém se afastou, em algum lugar, da provisão de Deus. Indivíduos que não adotam o Saltério dado por Deus são certamente divisores sectários. E, portanto, eu apelo a vocês que se unam ao cântico dos Salmos, sem acompanhamento instrumental, porque não estamos no Velho Testamento e não somos romanistas. Eu apelo para que se unam ao cântico dos Salmos, o livro dado por Deus à Sião. Nos aproximemos de Deus por meio do Mediador que foi apontado, com a disposição de coração ordenada por Ele e Suas ordenanças quanto ao culto. Isto unirá o povo de Deus.

Amém.
___________________________________________________________________
David Silversides – How should our churches worship today
Fonte – Sermonaudio
Tradução – Joelson Galvão
Revisão– Silvio Ribeiro